Produção de manga em Roraima deve superar 500 toneladas em 2019

Embrapa aponta o clima e a qualidade da terra do estado como fundamentais para cultivo da fruta, podendo, inclusive, ser exportada para outras regiões do país.

Por Robson Moreira, Bom Dia Amazônia — Boa Vista

09/06/2019 11h28  Atualizado há 19 minutos


O produtor Cristovão Rodrigues possui dois mil pés de manga distribuídos em uma propriedade de 16 hectares — Foto: Rede Amazônica Roraima/ ReproduçãoO produtor Cristovão Rodrigues possui dois mil pés de manga distribuídos em uma propriedade de 16 hectares — Foto: Rede Amazônica Roraima/ Reprodução

O produtor Cristovão Rodrigues possui dois mil pés de manga distribuídos em uma propriedade de 16 hectares — Foto: Rede Amazônica Roraima/ Reprodução

Em Roraima a produção de manga tem sido a aposta de muitos produtores rurais. E apesar dos desafios como o combate a mosca da carambola e outras pragas do período chuvoso, mais de 500 toneladas do fruto devem ser colhidas em 2019.

No sítio de 16 hectares, uma das frutas mais populares do país foi a aposta do Cristovão Rodrigues para geração de renda e sustento da família. E a ideia deu certo. Já são nove anos de produção do fruto, e só nessa área estão plantados cerca de 2 mil pés de manga.

Para o produtor, a produção da manga oferece várias vantagens. Uma delas é que a manga é produzida o ano inteiro, com colheitas de quatro a sete meses após o plantio.

Mais de 500 toneladas de manga devem ser colhidas em Roraima, afirma o Mapa — Foto: Rede Amazônica RoraimaMais de 500 toneladas de manga devem ser colhidas em Roraima, afirma o Mapa — Foto: Rede Amazônica Roraima

Mais de 500 toneladas de manga devem ser colhidas em Roraima, afirma o Mapa — Foto: Rede Amazônica Roraima

Para 2019, a previsão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Roraima é de colher mais de 500 toneladas da fruta em todo estado.

Os números são tão promissores que Cristovão já pensa até em exportar para outras regiões.

"Se você produzir escalonado, você tem para onde vender, é mais fácil de trabalhar com ela", afirma o produtor.

A próxima colheita da manga Tommy, variedade plantada por Cristovão, deve ser feita na primeira quinzena de junho. Enquanto isso, existe um grande esforço para evitar o surgimento de fungos e outras pragas durante o período chuvoso que já chegou em Roraima.

Uma das alternativas é a utilização do trator para a espalhar um fungicida na plantação. Além de evitar pragas como a mosca da carambola, que restringiu a exportação da manga em algumas regiões de Roraima, o objetivo é manter a qualidade das folhas e dos frutos no decorrer da safra.

Produtor rural utiliza fungicida para evitar contaminação da mosca da carambola — Foto: Rede Amazônica RoraimaProdutor rural utiliza fungicida para evitar contaminação da mosca da carambola — Foto: Rede Amazônica Roraima

Produtor rural utiliza fungicida para evitar contaminação da mosca da carambola — Foto: Rede Amazônica Roraima

O pesquisador e chefe da Embrapa Roraima, Otoniel Duarte, afirma que no estado existe um grande potencial para a produção de manga.

"Temos área de serrado, onde temos seis a sete meses de chuva. Umidade relativa baixa, solos com fertilidade física, a fertilidade química não é problema, e água abundante. Então nós temos tudo para produzir manga aqui. Mais de um milhão de hectares de serrado, isso poderia ser incorporado rapidamente para a produção de manga", justifica Otoniel Duarte.

Ainda de acordo com o pesquisador, desafios na produção ainda precisam ser superados, como o combate a mosca da carambola e as dificuldades na logística de escoamento.

Mas uma das iniciativas para aproveitar esse potencial, seria a instalação de agroindústrias em Roraima. Locais para processar a manga e facilitar a exportação.

Para o superintendente, a posição geográfica do estado pode permitir a exportação com grandes mercados consumidores, como a Europa e América do Norte, além do próprio Brasil.

"Nós temos uma safra extremamente grande e, justamente, na entressafra do Nordeste, do Sudeste e Centro-Oeste. Então, se Roraima se dedicasse à cultura da manga para suprir a Ceasa [Central de Abastecimento de Produtos Agroflorestais e Extrativistas] de São Paulo, Belo Horizonte, Brasília, nós teríamos um potencial de mercado gigante", afirma Otoniel.

Pesquisador e chefe da Embrapa em Roraima, Otoniel Duarte acredita que o estado tem potencial para abastecer as regiões Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste do país — Foto: Rede Amazônica RoraimaPesquisador e chefe da Embrapa em Roraima, Otoniel Duarte acredita que o estado tem potencial para abastecer as regiões Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste do país — Foto: Rede Amazônica Roraima

Pesquisador e chefe da Embrapa em Roraima, Otoniel Duarte acredita que o estado tem potencial para abastecer as regiões Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste do país — Foto: Rede Amazônica Roraima

Comentários